Inicial > Blog da Mari
03/05/2017
Eficiência no serviço público: alto índice de atestados médicos entre servidores

Ontem (02/05), na Sessão da Câmara, fiz uma reflexão sobre um tema bastante delicado e de grande influência na gestão, na economia e na eficiência do governo: o excesso de atestados médicos na Prefeitura de Lajeado.

No início do meu mandato trouxe à tona este tema e iniciei um processo de pesquisa, busca de informações com o Secretário de Saúde sobre isso. Agora, de maneira mais contundente, no meu papel de fiscalizadora, retomei o tema e apresentei dados, informações e sugestões ao Governo para tentar reverter esta situação. Porque o número de atestados médicos na Prefeitura de Lajeado é assustador.

 

 

Vamos as informações!

 

Enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza um índice de 10% de afastamento do trabalho por motivos de doença, na Prefeitura Municipal de Lajeado, ao que tudo indica, tem uma taxa próxima aos 20%. No mês de março, por exemplo, 338 servidores se afastaram de suas atividades por motivos médicos, e outros 15 casos com afastamento por mais de 15 dias.

Esta prática já está enraizada em alguns setores e é conhecida e comentada internamente na prefeitura, nos seus órgãos e na sociedade. Os próprios funcionários reclamam do excesso cometido por muito colegas, o que causa, inclusive, vergonha para a classe.

Deve ficar claro que não estamos generalizando o servidor.  Temos dentro da prefeitura funcionários públicos maravilhosos, que cumprem com eficiência e eficácia a sua função. E é por eles, pela sociedade e pela saúde financeira do governo que temos que olhar seriamente para esta questão.

 

Custos associados a falta dos servidores

O assunto é delicado e muito importante para a eficiência na gestão pública, afinal, os custos associados a falta de servidores não é apenas aquela gerada pelo funcionário afastado. Se pensarmos mais a fundo, identificaremos outros tantos problemas relacionados a falta de uma pessoa no trabalho, como:

Perda de produtividade do trabalhador ausente;
Horas extra para outros empregados;
Malefícios psicológicos e físicos para os outros funcionários;
Diminuição da produtividade total dos empregados;
Custos com ajuda temporária;
Possível perda, ações, projetos e negócios para a nossa cidade;
Sociedade insatisfeita.

 

Necessidade de incentivos e políticas de RH

Estou atenta aos números e a realidade enfrentada pela administração municipal e sei da necessidade que a Prefeitura tem de trabalhar com incentivos e políticas, pois além dos excessos cometidos pelos servidores, não podemos esquecer que outras causas contribuem para o aumento de atestados:

  1. Falta de incentivos e políticas de benefícios para quem não falta: desde que o maior valor do vale foi incorporado ao salário, segundo informações, aumentaram consideravelmente as faltas.
  2. Falta de políticas de medicina e segurança ocupacional: se TODA e qualquer empresa deve cumprir regras e trabalhar para promover ao máximo a saúde dos trabalhadores, porque os governos não fazem isso? A CLT É economia, pessoal!
  3. Falta de apoio (físico e emocional)
  4. O ambiente (físico, emocional) também causa doenças

 

Como reduzir os números de atestados

Por fim, é de extrema importância trazer alternativas para essa questão tão delicada. Cito abaixo algumas sugestões que estou levando ao Governo Municipal, como forma de reduzir a insatisfação dos servidores, motivá-los e reduzir os índices de falta no trabalho:

  1. Buscar e categorizar dados estatísticos em relação as faltas para criar estratégias específicas de redução.
  2. Melhorar a infraestrutura e tecnologia dos servidores públicos
  3. Investir em Comunicação interna/ endobranding
  4. Investir em educação continuada
  5. Implementar políticas que permitam a remoção temporária de funcionários com problemas de saúde para outras funções, reduzindo os gastos com contratações temporárias
  6. Implantar uma equipe multiprofissional de Saúde Ocupacional, com finalidade de proteger a integridade dos quase 2.000 funcionários
  7. Ser mais exigente e atento aos contratos de funcionários terceirizados

 

Faltas com atestado na Prefeitura de Lajeado

Por fim, compartilho com vocês os números de atestados médicos apresentados para a Prefeitura Municipal nos últimos seis meses:

Outubro/16 – 267
Novembro/16 – 254
Dezembro/16 – 247
Janeiro/17 – 88 (período de férias)
Fevereiro/17 – 162
Março/17 – 338

Compartilhe
Facebook
| Voltar para o topo
Acompanhe os posts
Escolha o tema
Todas
Administração
Saúde
Educação
Esporte e Lazer
Serviços Urbanos e Segurança Pública
Meio Ambiente e Agricultura
Habitação e Assistência Social
Cultura e Turismo
Tema da Semana
Destaque Home
Posts mais populares
O que eu aprendi com Eduardo Leite
Projeto da ONU chega a duas escolas d...
Banco de Voluntários: você pode aju...
Eficiência no serviço público: alt...
Parklets: A cidade para as pessoas